Teratoma: O que é e como tratar

Todo tumor de qualquer tipo é algo totalmente assustador e causa dúvidas e medo, principalmente devido a termos médicos difíceis e complicados.

O teratoma como demonstraremos mais adiante é um tumor com características muito próprias e que podem assustar e surpreender bastante. Nesse artigo você vai finalmente entender o que é realmente um teratoma, quais as suas principais características e a melhor forma de tratamento.

A melhor forma de lidar com o desconhecido é conhecê-lo e se preparar para enfrentá-lo, e é isso que tentamos fazer com esse artigo em relação ao teratoma para que você não tenha medo e saiba qual o melhor tratamento para esse tipo de tumor.

O que é um Teratoma

Um teratoma é um tumor que é formado por células do tipo germinativas, ou seja, células que dão origem a diversos tecidos diferentes do corpo humano. Portanto em um teratoma podem aparecer dentes, unhas, dedos e até cabelos e pele, por exemplo.

Na maioria dos casos, este tipo estranho de tumor aparece nos ovários da mulher, ou nos testículos, do homem. Porém o teratoma pode surgir em qualquer lugar do corpo.

O teramoma costuma ser benigno e não precisa de tratamento, mas raramente ocorre o aparecimento de células malignas necessitando ser procedida a retirada do teratoma.

Como descobrir o teratoma

Na maioria das vezes o teratoma não apresenta nenhum sintoma, sendo necessária a realização de certos exames, como raio-X, tomografia computadorizada ou altrassom, mas se o teratoma estiver muito grande pode acarretar sintomas como:

Dor constante;

Sensação de pressão em alguma parte do corpo;

Inchaço em algum local do corpo.

Já se o teratoma for maligno a situação muda completamente de figura, pois o tumor pode se espalhar para órgãos na periferia do teratoma, causando o comprometimento no funcionamento desses órgãos.

Tratamento do teratoma

O tratamento mais adequado para o teratoma é fazer uma cirurgia para a sua retirada, evitando assim o seu crescimento continuo.

No momento da cirurgia é coletada uma amostra do tumor para que análises mais aprofundadas a respeito da possibilidade de o teratoma ser benigno ou maligno sejam feitas.

Se o teratoma for constatado como um tumor maligno, pode ser necessário que se proceda com tratamentos típicos de câncer, como rádio ou quimioterapia, para que assim se previna a possibilidade de ainda persistirem células cancerígenas no organismo e que o câncer possa retornar.

Existem situações em que o teratoma tem um crescimento bastante lento, fazendo com que o médico opte por um tratamento conservador, em que o desenvolvimento do teratoma é constantemente analisado através de exames e consultas constantes, onde se analisa de tempos em tempos se uma cirurgia será necessária ou não.